85% das vítimas de derrame cerebral são hipertensas

Foram acompanhados 3.060 casos de beneficiários de planos de saúde internados com AVC em hospitais privados.

O derrame cerebral, como é popularmente conhecido o Acidente Vascular Cerebral (AVC), é uma das principais causas de morte no Brasil e no mundo.

 

Estudo inédito realizado pela área de consultoria da Orizon revela que 85% das vítimas de Acidente Vascular Cerebral sofrem de hipertensão. Foram acompanhados 3.060 casos de beneficiários de planos de saúde internados com AVC em hospitais privados.

 

A pesquisa, feita em virtude do Dia Mundial de Combate ao AVC, lembrado no dia 29/10, constatou ainda que 64% das vítimas tinham mais de 50 anos, 28% tinham entre 30 e 49 anos e 8% até 29 anos.

 

A doença atinge a cada ano 16 milhões de pessoas no mundo. Em decorrência disto, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a adoção de medidas urgentes para a prevenção da doença.

 

Segundo a Organização Mundial de AVC (WSO), o tratamento preventivo engloba o controle de vários fatores de risco vasculares como a pressão arterial, diabetes, colesterol, triglicérides, doenças cardíacas, além da necessidade de não fumar, ter uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos.

 

O AVC é a principal causa de incapacidade em adultos, com necessidade de cuidados de longo prazo. "Este cenário mostra a importância do acompanhamento e do controle dos fatores de risco, preocupação que não deve ser só da população, mas sim de todos os agentes da cadeia de saúde como indústrias, serviços de saúde e financiadores públicos e privados", alerta o Executivo de Negócios Corporate da Orizon, Leopoldo Veras da Rocha.

 

Sobre a Orizon

 

A Orizon trabalha há mais de 10 anos para simplificar o setor da saúde, gerando mais eficiência e resultados para os clientes através de suas soluções em: Transformação de Processos, Conectividade, Benefícios em Saúde e Inteligência em Saúde.

 

Hoje, 1 em cada 3 usuários do sistema de saúde privado se beneficia com as soluções da Orizon. São mais de 18 milhões de pessoas, conectadas a 130 mil prestadores e a 8.500 farmácias, efetuando mais de 140 milhões de transações por ano. Além disso, são processados mais de 40 milhões de sinistros e contas médicas neste mesmo período, trazendo importante ganho operacional para os clientes.

 

Devido a esse grande volume de dados, a Orizon é capaz de gerar informações estratégicas para o mercado, e assim auxiliar na tomada de decisão das empresas e agregar valor na gestão de saúde da população do país.

 

Fonte: segs.com.br

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.